Residência LabMIS

Processo de criação da obra Vista On Vista Off

mapa-camadas-okw

Construção de Narrativas Indeterminadas

Vista On Vista Off II articula  informações online com o intuito de reciclar e remixar os conteúdos encontrados nos bancos de dados e localizar estas informações no espaço físico conforme as coordenadas da bússola. O sistema organiza  os dados utilizando as tags como interface de vários contextos similares. As tags são etiquetas que descrevem o conteúdo do arquivo para os buscadores e no trabalho, elas funcionam como elementos de linguagem que constituem a narrativa da obra e criam uma linguagem visual, definindo um recorte formado por pontos de vista possíveis de paisagens ao redor do mundo.

A tags utilizadas no trabalho referem-se a situações de vista (aérea, panorâmica, mirante, etc), mas na rede, as palavras estão sujeitas à muitos significados. Isso acontece porque cada termo  é atribuído pelo usuário da rede que nomeia o arquivo de forma subjetiva. Assim, as tags, tanto apresentam multiplicações sobre um determinado assunto, como também trazem resultados que não são esperados. Estes supostos erros permitem desvios da lógica e abrem espaço para o acaso e para a subjetividade. Este ruído na imagem funciona como um elemento que provoca no trabalho a construção de narrativas indeterminadas que ampliam as relações entre o que se está sendo produzindo atualmente de informações sobre as paisagens.

CIMG3157w

CIMG3170w

Apresentação do protótipo da obra Vista On Vista Off, na Residência Artística, em junho/2010.

 

Processo de criação Vista On Vista Off 

A instalação propõe que o visitante gire o dispositivo e escolha um dos lados para a projeção. Este trabalho é uma instalação locativa em rede projetada especificamente para o espaço redondo do MIS, pois os dados foram posicionados conforme o local da instalação.

Ao girar o dispositivo o público desencadeia transformações no ambiente virtual que reforçam a sensação de presença e de interação do corpo com outros lugares. A interatividade é física e mental, pois o público percebe o que está se configurando diante de sua ação.  Deste modo, a mobilidade virtual se contrapõem a imobilidade física e os vídeos apresentados nos permitem desfrutar de lugares distantes, e ao mesmo tempo possibilitam que o público se torne o agente construtor do espaço. Os dados mudam constantemente em cada uma das direções e estão conectados a internet e ao fluxo informacional.

No projeto, o espaço redondo do MIS foi dividido em 16 partes e até 10 camadas. As diferentes dimensões das telas, apresentadas uma sobre as outras, criam uma ilusão de profundidade espacial. As telas maiores correspondem aos lugares  que estão mais próximos e conforme vão diminuindo, representam os lugares mais distantes.

vista-on-vista-off-II-38ww

Na história do cinema os panoramas tinham o objetivo de transportar o espectador para outro espaço e tempo, trazendo-o para dentro da imagem. Este procedimento gerava a sensação de estar diante de uma realidade simulada por ela. Deste modo, está instalação panorâmica interativa solicita todos os sentidos do espectador e possibilita que o público não se fixe somente no dispositivo, e sim na situação.

O trabalho induz a uma virtualidade do tempo baseada na multiplicação de espaços que se desdobram. A sobreposição de sons que reverberam no espaço redondo evidenciam o caos provocado pelas camadas de imagens que se alteram. Os planos curtos multiplicam vertiginosamente os pontos de vista sobre cada um dos lugares, conforme  a simultaneidade de filmes que aparecem aleatoriamente, numa sucessão e encadeamento de planos.

Os vídeos não tem começo nem fim,  são imagens em fluxo, imagens-tempo. Ela flui baseando-se em um sistema que a prescreve e no público que a aciona. É também um conjunto de imagens globalizadas pela revolução da informática e das rede telemáticas.

Apresentação do protótipo da obra Vista On Vista Off, na Residência Artística, em junho/2010.

 

Equipamentos necessários

MAC Book Pro, arduino, bússola digital HMC6352, projetor, internet 20 Mb, caixas de som, suporte de madeira rotativo, conector de cabos rotativo

- programas utilizados foram: flash, flash player, proxy, eclipse, arduino

 

PROJETO VISTA ON VISTA OFF

Direção e concepção: Denise Agassi

Programação: Leon Kraton

RESIDÊNCIA ARTÍSTICA LabMIS abr/jun 2010

EXPOSICAO LabMIS out/2010-mar/2011

Acompanhamento crítico de processo: Lucia Leão e Paula Alzugaray

mis-vistqa-on-off-3w

mis-v-on-v-off3w